terça-feira, 27 de julho de 2010

Medo e Ansiedade

Vamos admitir. Todos nós sentimos medo em um momento ou outro... de aranhas, de cairmos, dos exames e até do fracasso... Mas algumas vezes esta resposta normal pode sair do controle.

Eu me lembro de buscar a emoção de me sentir assustada quando era criança. Eu amava assistir filmes de terror e ouvir histórias fantasmagóricas até que eu sentisse o impacto em minha pele!

Experiências como estas podem ser divertidas quando estamos plenamente conscientes de nossa situação em uma determinada “realidade”, porque sabemos que estamos no controle. Mas algumas vezes as coisas podem se desviar da norma...

O medo é uma emoção natural que nos ajuda a identificar uma ameaça ou uma situação perigosa que nos habilita a responder de acordo. Ele é um mecanismo de “proteção” contra a dor física ou emocional e o sofrimento. Este é uma resposta “saudável”, e se ele não existisse, provavelmente não viveríamos muito.

Algumas vezes, entretanto, os padrões doentios ou patológicos podem se desenvolver como resultado de crenças errôneas e de experiências passadas. É onde o medo é diferente da ansiedade, a qual ocorre sem qualquer ameaça externa.

Além disto, enquanto o medo está conectado à comportamentos específicos de fuga e de escape, a ansiedade vem como resultado de ameaças que são percebidas como fora do controle e/ou inevitáveis.

Se vocês sentirem o seu corpo tremendo, o suor nas mãos e os seus batimentos cardíacos se acelerando mais do que uma bomba relógio, sem razão aparente, continuem lendo, pois vocês encontrarão esta informação esclarecedora.

Eu não estou tentando negar a realidade destes sintomas. O que eu estou tentando transmitir é o fato de que os eventos que os causaram, podem não existir necessariamente – pelo menos na proporção que os vivenciamos – porque muitas vezes, nós temos medo de coisas que são meras criações de nossa ingênua imaginação.

Um destes exemplos é o “medo de falar em público”, o que segundo várias pesquisas, ele se classifica no alto da lista como o medo da morte. De acordo com Sigmund Freud, o medo e a ansiedade são emoções básicas que se desenvolvem cedo na vida e influenciam a nossa vida desde a nossa infância. Esta influência molda a nossa vida enquanto ficamos mais velhos.

Em outras palavras, este é um comportamento parcial e tendemos a manter estes padrões por muitos anos, a menos que decidamos modificá-los. Isto apenas sugere que pode levar algum tempo e determinação para vencermos os medos. Nós devemos ter um coração aberto e uma mente concentrada.

Vamos agora rever os diferentes tipos de medos. O espectro é bastante amplo. Algumas pessoas sentem apreensão causada por objetos imaginários, enquanto outras ficam com medo de coisas e atividades reais. E ainda outras têm temores particulares, também chamados de fobias. E então há algumas que subitamente perdem o controle de suas ações e de seu bom senso.

Levado ao extremo, ataques surpreendentes e inesperados de intenso terror, são conhecidos como transtornos de pânico. Estes usualmente surgem quando nos defrontamos com o perigo, mas algumas vezes eles ocorrem sem uma razão óbvia. Se vocês tiveram eventos assim, vocês sabem quão intensa e debilitante pode ser tal experiência. O conselho de um profissional pode ser necessário para tratamentos eficazes, como a psicoterapia, a hipnose ou a terapia para modificação de comportamento.

Ainda que esta seja uma resposta aprendida, há boas notícias. Elas podem ser esquecidas (desaprendidas). Com a orientação de um profissional, ele poderá lhes ensinar a identificar quais experiências causam apreensão ou extremo alarme, assim como os gatilhos (causas) que poderiam ser muito reais em sua imaginação.

Há também grupos de apoio onde as pessoas se reúnem para conversar sobre as suas ansiedades, problemas e preocupações. Ao se sentirem que não estão sozinhos nisto, pode ajudá-los em seu caminho para a cura.

Entretanto, a melhor e mais eficaz terapia vem de dentro de vocês. Nenhum tratamento e nenhuma pessoa a não ser vocês, podem curar os seus medos completamente.

Vocês devem estar dispostos a se libertarem deles e agirem, ou estas sensações continuarão a se prolongar. Se a ansiedade nunca deixa o seu lado, ela continuará a perturbá-los e a limitar a sua vida, e algumas vezes até a tranqüilidade do seu sono.

Como vocês podem se ajudar então?

O seguinte conselho funcionou para muitas pessoas que foram bem sucedidas ao erradicarem os seus medos. Façam uma tentativa, vocês podem fazer isto também!

Compreendam que quando o medo sai do controle, ele assume o controle da sua mente. Quando vocês decidem assumir o controle da sua mente, vocês se sentem liberados desta experiência paralisante. Para fazerem isto, vocês começam a “vê-lo” como uma entidade separada, como um vírus inexpressivo que invade o seu corpo, mas vocês sabem que eventualmente ficarão melhores.

Visualizem o seu medo e o reconheçam. Reconheçam que ele tem estado aí para protegê-los. Agradeçam-“lhe” e permitam que ele os deixe. Vocês não precisam mais dele. Com a prática vocês serão capazes de fazer isto, o que lhes trará uma paz instantânea em qualquer situação assustadora.

Aprendam a meditar. Comecem aprendendo a respirar profunda e lentamente. Sua respiração é o seu melhor trunfo. Vocês notarão que quando vocês exalam através de sua boca lentamente, os seus batimentos cardíacos também de desacelerarão. Isto terá um efeito calmante em um instante.

Se estiverem inclinados a orar, pode ser o melhor escudo quando estiverem com medo. Isto os faz sentir que não estão sozinhos. Isto os faz se sentirem confortáveis.

Decidam a serem ousados e corajosos. Como Amy Tan dizia: “Qualquer coisa que não possa matá-lo, somente o tornará mais forte.” Vivam com este tipo de pensamento, e lembrem-se desta frase a cada vez que se sentirem amedrontados.

Peguem alguns cartões e escrevam algumas informações que os façam sentir capacitados. Leve-os com vocês e os leiam enquanto fazem uma respiração profunda e um relaxamento. Vocês sentirão imediatamente um efeito calmante.

Ocupem a sua mente com pensamentos felizes. Se estiverem felizes, vocês se esquecerão das coisas das quais têm medo. Certifiquem-se de que estejam ocupados e desfrutando de sua atividade. Isto mantém a sua mente focada em pensamentos felizes, de modo que não haja espaço para pensamentos ou sentimentos desagradáveis.

Se esta condição persistir, vocês podem querer buscar o apoio de um profissional, mas mesmo estando sob um tratamento, não garantirá que vocês vençam completamente o medo. Lembrem-se de que a sua “cura” completa depende de vocês.

É sua a escolha se vocês querem ser curados ou não. Vocês devem se capacitar, sabendo que podem fazer isto. Na tomada de decisão para derrotarem os seus medos, vocês têm que preparar o seu coração e a sua mente, pois a sua plena participação é mais necessária.

O que me lembra de... crença. Acreditem que vocês podem vencê-lo e vocês o conseguirão. Desejem isto do seu coração e façam o que precisarem para que possam se libertar desta condição desagradável que os impedem de tantos modos.

A libertação dos seus medos está em suas mãos e apenas em suas mãos. Vocês podem se mover do Medo para o Amor.

*****

Do site: Ferramentas para a Abundância: Tools for Abundance.com
Direitos Autorais 2008-2010. Todos os direitos reservados.
http://www.Tools-For-Abundance.com
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails