quinta-feira, 15 de julho de 2010

Você tem escolhido os espelhos nos quais se reflete?

Nos momentos em que sentimos que a vida nos parece sem sentido, não temos mais aquela vontade de fazer as coisas que sempre gostamos, percebemos que não temos perspectivas para o futuro, a vida parece monótona... Significa que estamos nos desviando de nossa rota...

Mas que rota? A missão que escolhemos, assumida junto com o Criador, para exercer nesta vida.
E como fazer para enxergar este caminho? Ouvir nossa voz interior, resgatar nossa essência.
E como fazemos isso? Voltando-se para dentro de si, afastando-se do externo e voltando-se para o interno, o Eu mais profundo. Pergunte-se para si mesmo: Quem sou eu?

Costumo utilizar uma metáfora com meus pacientes para exemplificar esta situação, perguntando para eles: “Em que espelhos você tem se refletido?” Como assim?

As pessoas com quem nos relacionamos são como espelhos. Através desses espelhos recebemos a imagem (ou feedback) sobre nós mesmos. Portanto, a imagem refletida pelo outro tem influência sobre nossas percepções de nós mesmos. Seja ela positiva, seja negativa.

Cada grupo social de que participamos é como uma sala de espelhos onde cada pessoa é uma parede ou espelho, e a qualidade desses espelhos (pessoas) podem influenciar nosso julgamento sobre nós mesmos. Portanto, procure escolher bem os espelhos nos quais você costuma se refletir...

Existem espelhos que refletem suas virtudes, mas alguns preferem refletir somente suas qualidades negativas através de críticas negativistas, pessimistas e repressoras. Muitas vezes, estamos vivendo numa sala onde todos os espelhos só refletem nossos defeitos fazendo com que nos sintamos fracos e pessimistas perante a vida, o que, na realidade, não é verdade pois somos imagem e semelhança de Deus, portanto somos seres bons e perfeitos. Somos Amor...

Afastar-se dessas salas e desses espelhos, pelo menos periodicamente, pode nos fazer muito bem. Em alguns momentos, voltarmos para dentro de nós mesmos sem as influências desses reflexos externos, mas somente refletindo nossas luz interior e buscando nossa essência, nossas motivações mais profundas e honestas, com certeza nos trarão o entusiasmo e a alegria de viver.

As críticas podem ser construtivas, por isso devemos também pensar se estamos errando em nossas atitudes para com o outro, mas também, devemos ter em mente que a responsabilidade por nossa felicidade é somente nossa e a aceitação ou não das críticas negativas também é opção nossa.

Ter consciência de que podemos ser felizes desde que não façamos o mal para o outro pode ser esclarecedor se refletirmos mais profundamente...

Pense e "reflita" sobre isto...

Roberto Dantas - Psicanalista Transpessoal
E-mail: rodavi@ig.com.br ou roberto@mx8.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails