segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Curando a Vergonha - Mensagem de Polaris através de Karen Murphy

(Esta mensagem é de uma sessão que trata especificamente do conceito da vergonha, canalizada em Maio de 2009.)

É sempre um prazer lhes falar, independente da circunstância em que qualquer um de vocês se encontre: a circunstância emocional, a circunstância física, etc. É o mesmo para nós, não obstante as circunstâncias, embora notemos as mudanças dentro de vocês com amor.

O interesse desta noite é lhes falar sobre o problema da vergonha. Portanto, nós daremos a nossa perspectiva do que seja a vergonha, como ela é criada, o que está acontecendo energeticamente, enquanto ela está sendo experienciada, e como curar este sentimento.

UMA NOVA DEFINIÇÃO DE VERGONHA

Nós definiríamos a vergonha deste modo:

A vergonha é a submersão dos seus próprios desejos e de uma boa parte de sua própria identidade quando vocês se defrontam com o que percebem como uma força energética oposta, vindo em sua direção.

O que é diferente em nossa perspectiva desta definição e aquela em seu dicionário é que estamos descrevendo um processo. É um processo que envolve uma interação energética entre vocês e o outro, ou realmente, algumas vezes, entre partes de si mesmos. Há corolários para isto:

Este processo está no momento presente. Não importa qual seja o seu passado, qualquer vergonha que vocês sintam é o resultado deste processo acontecendo Agora.

Vocês têm o poder de escolher de modo diferente, em relação ao fluxo de energia de qualquer coisa da qual sintam vergonha.

O FLUXO DE ENERGIA ASSOCIADO À VERGONHA

Nós daremos um exemplo descritivo que é o que poderia ocorrer quando vocês encontram um estranho que parece gerar vergonha em vocês: digamos que vocês encontrem alguém que não encontraram antes e sentem uma onda de energia que lhes parece como se estivesse vindo em direção a vocês. O sentimento da vergonha é sentido quando vocês usam esta energia que vem em sua direção como um catalisador para submergir os seus próprios desejos - sua própria "exterioridade" energética - e ao invés disto, sentem o ímpeto da força total do que vocês estão percebendo que está vindo para vocês, porque vocês não têm mais a sua "parede de defesas" normal ao seu redor.

Vocês também poderiam descrevê-la como a criação de uma abertura dentro da fachada (sua identidade ou ego), que normalmente vocês mantêm ao seu redor. Isto é parte da sua auto-imagem. É parte do seu campo energético. Isto é normal. Mas quando há uma súbita mudança em como vocês mantêm este campo energético, isto freqüentemente cria erupções que podem se transformar em sentimentos primitivos como a vergonha.

Pergunta: Como isto se relaciona com o que culturalmente conhecemos como vergonha?

Vamos usar um exemplo de uma pessoa que vivenciou o estupro.

Há então uma imensa fenda na fachada energética normal que a pessoa apresenta. Algo aconteceu para mudar a estrutura energética que ela está mantendo normalmente ao redor de si mesma - porque ela teve uma experiência intensamente física e emocional que torna difícil manter esta fachada energética normal. Esta fenda energética, ou buraco, pode durar por algum tempo, especialmente quando há geralmente, uma falta de consciência de que tal estupro possa existir.

E assim ocorre a criação da vergonha - porque com este estupro existente, qualquer energia que seja percebida como vindo em direção a esta pessoa, será então percebida como um restabelecimento deste sentimento inicial de violação. Talvez no caso de estupro, este buraco esteja na área do segundo chacra. Este buraco vem e vai com o decorrer do tempo, mas a cada vez ele se abre um pouquinho diante de um ataque energético violento; a pessoa se lembra um pouco desta experiência de estupro novamente. Então este buraco se rompe, se abre mais novamente, toda a energia entra, e é vivenciado novamente como um sentimento de vergonha.

Pergunta: Você o descreveu como uma abertura para a energia, um buraco, que, necessariamente, não parece terrível, mas a experiência disto pode ser. Pode ser muito opressivo.

Isto está correto. Depende da pessoa. Há pessoas que se sentem relativamente com pouca vergonha sobre algo. E isto é simplesmente como elas são, como elas escolhem perceber as influências energéticas - as suas e aquelas que pertencem a outras pessoas.

Em outras palavras, as pessoas que não são particularmente sensíveis energeticamente, em geral sentem menos vergonha do que as pessoas que tendem a ser mais sensíveis energeticamente.

Antes que entremos em experiências individuais muito profundamente, queremos falar um pouco sobre os efeitos sociais da vergonha. Há uma fachada cultural energética que cada um de nós apresenta, além da sua pessoal.

Todos vocês sabem instintivamente, energeticamente e através do que vocês captam dos outros (socialmente, em termos da sua formação e educação cultural, etc.), que vocês apresentam coletivamente esta fachada energética adicional. Quando há realmente grandes rompimentos nesta área energética em que todos vocês estão engajados, quando isto tem algo a ver com algo considerado inaceitável ou indesejado, culturalmente, então haverá sentimentos de vergonha mais freqüentemente.

Há vergonha em sua cultura em relação ao corpo: mostrar-se nu, é em geral considerado como vergonhoso. A vergonha que envolve a raiva na mulher, existe também. Qualquer coisa que não seja considerado culturalmente aceitável dentro de um determinado espectro, tende a induzir a vergonha, especialmente para as pessoas que são mais sensíveis energeticamente, e sentem a energia dos outros mais intensamente do que aqueles que são menos sensíveis energeticamente.

Voltando ao exemplo do estupro: se vocês vivem em uma cultura onde há tipicamente a vergonha vivenciada sobre a experiência do estupro, então a vivência desta vergonha em uma base individual, ocorrerá mais provavelmente, do que se vocês viverem em uma cultura onde não haja nenhuma vergonha ligada à experiência do estupro. O buraco na fachada cultural energética torna mais fácil a criação de um buraco em sua fachada energética pessoal.

CURANDO A VERGONHA

Vamos dizer que você seja uma pessoa que vivencia a vergonha em uma base freqüente, devido aos repetidos sentimentos de ataque emocional violento e violação.

A questão a nós dirigida é: "Como curar a vergonha individual?"

Nós trabalharemos nisto de dois modos. Há como curar uma vergonha coletiva a nível de grupo que vocês vivenciam em uma base individual, mas como parte de uma crença do grupo. Há também como curar a vergonha individual que é criada em uma base individual, ainda que isto se ligue a algo que seja de um tipo de vergonha coletiva de um grupo maior.

Usando o nosso exemplo do estupro novamente, é possível fortalecer o campo energético em uma base consistente, de modo que vocês não mais vivenciem o que vocês percebem como um buraco neste campo, quando sentirem a energia de alguém que lhes recorde esta experiência do estupro. Isto pode ser feito em uma base muito individual, mas em geral, o modo mais fácil de curar isto rapidamente, sem fazer um longo estudo disto, seria isto:

Quando vocês se defrontarem com os inícios deste sentimento de vergonha, imediatamente se concentrem nesta área em seu corpo, onde sentem que está o buraco, e comecem a emitir tanta energia de vocês de lá quanto possam.

Concentrem-se simplesmente nesta área e imaginem que vocês têm uma força, um poder e uma energia, ilimitados, dentro de vocês e que vocês estão permitindo que saiam de vocês a partir deste ponto. Vocês estão utilizando o espaço.

Não há uma defesa - há uma integridade.

Isto segue contra a sua tendência natural, que seria retrair. Isto pode ser difícil, especialmente nas primeiras vezes em que estejam tentando isto. Mas, o que farão é evitar que outra energia entre no que vocês consideram como a sua esfera, mantendo um senso de integridade em si mesmos.

Depois de algum tempo, após algum treino, vocês poderão fazer isto automaticamente, de modo que não precisem pensar sobre isto em uma base consciente.

Este é o modo mais fácil e mais rápido. Isto não sugere que será mais fácil para todos. Lembrem-se de que, em uma base intelectual, vocês podem conversar com vocês mesmos de quase tudo que estejam sentindo e percebendo. Isto exigirá confiança em sua intuição, em suas percepções energéticas, e em seu poder de mover e de criar energia.

CURANDO A VERGONHA CULTURAL

Nós avançaremos para a cura de uma vergonha maior - o tipo de vergonha cultural. Esta tende a ser um pouco mais complicada, porque vocês a estão experienciando em uma base individual e a experiência de todos é intensamente individualizada.

Em geral, o melhor meio de curar a sua experiência de vergonha coletiva é este: quando vocês começarem a ter estas sensações que vocês ligam ao sentimento da vergonha, imaginem-se estando um pouco distanciados da estrutura energética total do grupo social e cultural do qual são parte. Saibam que são "eles" - eles podem ter este sentimento lá, mas vocês estão aqui, se sentindo íntegros e completos em sua própria estrutura energética.

Novamente, o modo como descrevemos isto é muito simples. Não é tão simples quando vocês se defrontam com todos os sentimentos complexos que surgem quando estão com um sentimento como a vergonha, que é tão incompreensível e amorfa. Não é algo que vocês possam apanhar de uma mesa e segurá-la em sua mão. Não é até necessariamente algo que vocês possam sempre identificar como um sentimento em seu corpo!

Assim se forem capazes de fazer isto e dizer: "Esta sensação física que eu estou tendo agora é o que eu associo com a vergonha", então isto é um imenso avanço. Vocês não precisam necessariamente vivenciar isto e ter esta associação para que as nossas sugestões tenham alguma influência em como vocês acabam por vivenciar a vergonha em sua vida.

Pergunta: Estes são exercícios individuais. Quais são algumas sugestões quando há um casal ou um grupo muito pequeno e íntimo em que as pessoas confiam um no outro? Os grupos realmente me ajudam.

Se você tiver outra pessoa com quem possa trabalhar, um exercício útil é ter um de vocês sendo a pessoa que sente a vergonha e a outra como a "pessoa que é atacada energeticamente". Pratiquem movimentando a sua energia para a frente e para trás, em ambos os papéis, como se segue:

Fiquem voltados um para o outro um pouco afastados - não muito próximos. Não olhem nos olhos do outro - concentrem-se em um ponto no centro do tórax do outro.

Um de vocês dá um passo atrás e então dá um súbito passo à frente com a idéia de impulsionar a sua energia para a outra pessoa. Esta outra pessoa será aquela que está normalmente vivenciando este tipo de coisa como vergonha.

O que a pessoa "envergonhada" faz, é se concentrar na parte do seu corpo que ela associa com o buraco em seu campo energético. Ela simplesmente se concentra nesta área, reunindo a energia dentro do seu campo energético e deslocando-a através deste ponto - e vendo o que se desenvolve.

Em uma situação em grupo um pouco maior, de 4 a 8 pessoas, vocês podem novamente desempenhar o papel onde um de vocês está se excluindo da consciência de grupo. O resto do grupo estaria conversando sobre um problema do qual todos vocês tendem a sentir alguma vergonha - seja o estado inadequado do seu sistema político ou algo que discutimos anteriormente, como a nudez pública. Mas todos vocês precisam ter algum sentimento de vergonha sobre o tópico que decidem falar.

Um de vocês pode se distanciar do resto do grupo, enquanto o grupo continua a falar sobre estas coisas vergonhosas, sem realmente fazer piadas, mas apenas mencionando histórias que causaram um sentimento de vergonha. A pessoa que está à parte pode praticar, separando a sua energia do grupo. Novamente, isto pode levar talvez alguns minutos de cada pessoa. Assim todos podem ter uma oportunidade com apenas alguns valorosos minutos de experiência.

A LONGA JORNADA DA CURA

A cura da vergonha pessoal terá um efeito positivo cumulativo na vergonha cultural que existe ao redor de todos vocês. Como a percebemos, é parte de seu caminho global e coletivo, começar a curar a vergonha em uma base ampla. Com o tempo, nós prevemos que o seu mundo um dia parecerá muito diferente em relação ao problema da vergonha, e a sua história pessoal hoje, influenciará este futuro ainda a ser.

*****

Tradução: Regina Drumond - reginamadrumond@yahoo.com.br

Polaris é um grupo de entidades (do qual Seth e Miguel são parte), que se moveram além da realidade física. Eles se uniram a fim de ensinar uma mensagem de autoconsciência e dar ferramentas para ajudar na manifestação de seu Eu mais profundo e lhes permitir a entrar no que eles chamam de "fluxo da sua vida".

Direitos Autorais, Karen Murphy

Vocês são bem-vindos e encorajados a distribuir esta canalização, mas, por favor, usem as seguintes diretrizes: Incluam os créditos do autor, os direitos autorais e incluam um link com o web site de Polaris: http://www.polarisrising.com
Fonte: http://www.polarisrising.com/shame.html



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails