terça-feira, 21 de setembro de 2010

A Escolha do Bem - Vera Guimmel

Frequentemente me escrevem perguntando sobre essa eterna briga do "Bem x Mal". Tenho observado algo que não é coincidência e que constato por mim mesma e que o francês Joël Ducatillon, pesquisador do aparelho Codificador - ADN 850, (um tipo de ADN artificial de luz) também compartilha... "quanto mais quisermos fazer o bem, mais atrairemos o mal. Se queremos fazer dez quilos de bem atrairemos dez quilos de mal. Se quisermos fazer 20 quilos de bem porque achamos que ainda há demasiado mal, obteremos dez quilos de mal suplementares.
E será uma escalada até que tudo desmorone". Surpresos? Eu não. Todos que passaram pelo planeta plantando o que chamamos de Bem, obtiveram uma contra partida de episódios trágicos ou dolorosos em suas vidas. Basta listar quem se conhece que se dedicou a plantar a semente do bem e observar suas vidas na Terra. Não estou fazendo nenhuma apologia do mal, até porque sofro as conseqüências de direcionar a minha vida para o bem. Só eu sei o que eu passei por optar por essa escolha. Mas vamos perceber com isso que o planeta tem até o momento essa dualidade que está em constante movimento. Reflito sobre como passar por essa jornada sem prejudicar uma filosofia. Quem de vocês já não se perguntou o porquê de ser tão assediado por pessoas cruéis, falsas, mal intencionadas e que deliberadamente agiram de uma maneira perversa com você, sem nenhum motivo aparente? Quantos de vocês não se sentiram tristes e desanimados com o comportamento traidor de pessoas que você apenas ajudou?

Tudo começou com a mudança do nosso DNA há milhares de anos que de 12 filamentos passou a ter 2. Com essa redução, entramos nessa matrix do bem X mal. Fomos cerceados pelos nossos colonizadores que instalou um vírus em nosso DNA que todas as vezes que tentamos retirá-lo, sofremos algum efeito colateral. Como se estivéssemos num "gatilho" todas as vezes que fossemos tentar. Viver passou a ser uma escolha entre o bem e o mal. Esse véu sempre nos deu um falso processo de que devemos "lutar" para implantar o bem. Não temos que lutar temos que acolher, amar, e integrar toda a representação do que chamamos de mal para que essa dualidade acabe. Essa é a nossa escravidão. Preocupar-se em ser bom, ou fazer o bem só nos traz desafios de confronto, fazendo com que, pela atenção ao perigo do mal, ele se torne mais presente e forte em nossas vidas. Parar de evocar o mal como algo presente já é um bom começo. Parar de se preocupar em ser bom, mas apenas você mesmo, também o é.

É preciso neutralizar essa briga interna das duas representações pra que a Unidade se instale. Merkaba essa forma tetraédrica é um código para isso. Fazer uma meditação ou auto-hipnose criando no inconsciente um manual de funcionamento sem contrastes de bom ou de mal pode também ajudar muito. Viver sem julgamento (esse é outra cilada para a manutenção desse esquema bem x mal) é um bom começo.

Nosso inconsciente coletivo está mantendo esse formato de vida dual. Se começarmos a quebrar isso será como num efeito dominó e essa é a melhor contribuição que podemos fazer para que possamos viver em PAZ que é a verdadeira expressão da UNIDADE na Terra!

Vera Ghimel - veraghimel@oi.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails