quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Eu Não Desejo Ofendê-Lo - Paulo Coelho

Durante uma peregrinação a um lugar sagrado, o homem santo começou a sentir a presença de Deus ao seu lado. Ajoelhou-se, escondeu a face e rezou
“Senhor, peço apenas uma coisa nesta vida; que me seja concedida a graça de jamais ofendê-Lo.

“Não posso lhe conceder esta graça” – respondeu o Altíssimo. ”Se você não me ofender, eu não terei necessidade de perdoá-lo. Se eu não precisar perdoá-lo, você em breve esquecerá a importância da compaixão pelos outros”.

“Portanto, continue seu caminho com amor, e permita-me perdoá-lo de vez em quando, para manter viva a importância desta virtude”

Paulo Coelho



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails