quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Liberte o Seu Opressor - Marcelo Bonachela

Perdemos muito tempo de nossas vidas pensando ‘o desejo do outro’. Raramente estamos certos do que fazer. Claro que estou no campo das emoções, de manter ou interromper um relacionamento amoroso, de se afastar de pessoas nocivas a nossa auto-estima...
Os dramas de nossas vidas são o puro reflexo da visão mais íntima que temos de nós mesmos. Alguns de nós acreditam que merecem a injustiça e que aquilo, no fundo, está lapidando sua alma e aprimorando seu processo de evolução. Muitos não conseguem perceber que isto não passa de um julgamento ‘pseudo reflexivo’.

Pense bem. Julgamos o tempo todo. É praticamente impossível não julgar. Na filosofia clássica, dividimos os juízos em ‘juízo de fato’ e ‘juízo de valor’. Por mais sensorial e preciso, o seu juízo de fato está, inevitavelmente, envolto por valores estéticos, morais, religiosos... mesmo que você esteja apenas olhando para uma parede.

Você se perceberá muito mais autêntico e leve quando começar a questionar a si mesmo. Não perca seu tempo tentando imaginar o que aquela pessoa que lhe faz mal planeja. Ela está apenas vivendo, do modo dela e como ela julga ser interessante. Aprenda a cuidar da sua vida e de seus interesses.

Aprenda a pensar porque você se permite vitimizar por essa pessoa. Questione porque você não se liberta dessa força de atração destrutiva. Afinal de contas, quem é o monstro? Quem se diverte destruindo ou quem se permite ser destruído?
Com certeza se você é adulto e ainda legitima a presença perversa de seu opressor, saiba que você é o monstro que aprisionou o seu opressor neste papel. Você não permite que ele mude e cresça como pessoa. Você, covardemente, precisa de seu opressor para justificar a sua covardia em relação à vida. No fundo, você sente não ser capaz de se libertar de suas infundadas crenças sociais e religiosas.

Pense e liberte-se. Deixe de ser um peso para o mundo e acredite que você é capaz. Acredite que você vale a pena (mesmo que seu opressor e os outros não concordem). Pense que eles representam apenas um diminuto grão de areia na imensidão da vida. Ao menos para você, seu projeto é significativo e isto é tudo que você precisa para iniciar a sua linda caminhada de vida.

Marcelo Bonachela
http://blogdobonachela.blogspot.com



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails