quarta-feira, 10 de novembro de 2010

No Dia Em Que Briguei Com Deus - Vera Ghimmel

Vivi nos últimos meses um turbilhão que não cabe aqui especificar, mas com certeza, achava que não ia dar conta e morrer. Todas as situações culminaram com a perda do meu grande amigo felino Gaspar, o que me deixou bastante furiosa com o Criador. Para muitos juízes de plantão, pode parecer banal ou de menos importância.
Mas olhando pelo ponto de vista de uma pessoa sensível, alguns acontecimentos abalam muito a nossa estrutura, principalmente quando você apenas tem nos bichos, desde muito criança, uma grande referencia de amor e de acolhimento, embora tenha consciência de que desde o início, antes mesmo de nascer, escolhera conviver com tudo isso! Encontrar com toda a sorte de perversidade e de pessoas que estão empenhadas em te torturar, não significa que elas não possam mudar durante o processo e serem pessoas melhores, o que nunca aconteceu comigo. E assim, muito zangada, fui direto a fonte. Deus! Nunca tinha dado tamanha espanada NELE! Acho que se ELE aparecesse personificado, apanharia! Estava no auge da minha revolta! Disse-lhe esbravejando que se ser do jeito que eu era não dava compensação pelo menos de acolhimento, eu definitivamente pedia para que ELE me tirasse daqui. Ser uma pessoa do meu jeito não dava certo! Sei que muita gente ao ler este artigo se identificará. A diferença é que a maioria tem constrangimento de subir no caixote e esbravejar. E sou assim. Quando vejo uma injustiça, grito. Agora sou eu que me sinto injustiçada! Bem, a coisa não parou por aí. Nunca xinguei tanto e muito menos ELE, que havia me criado. Não vou mentir, me senti bem com essa atitude, afinal eu estava LIVRE! Expressei o que estava entalado em mim e francamente, jamais acreditei, lendo as notícias diárias, que uma criança ser estuprada e morta, ou um bicho ser torturado, ou mesmo um idoso ser maltratado "fazia parte do plano de DEUS". Faz o cacete! E foi tudo isso que eu disse pra ELE. Nem precisa dizer que só eu falava e do outro lado... SILÊNCIO TOTAL. Provoqueio-O dizendo-LHE que ele devia estar "bem chocho", pois a experiência seres humanos havia falhado. Éramos um experimento genético que não dera certo! Depois dessa, até os meus amigos invisíveis desapareceram, acho que para não sobrar para eles ou quem sabe, serem testemunhas. Passaram-se meses e eu seguia a minha saudade e tristeza da perda do Gaspar que na verdade simbolizava tudo o que eu não tive em toda a minha vida. Uma vez esse gato partiu para cima do meu filho que entrara no meu quarto para me desacatar. O Gaspar simplesmente acordou e saiu em minha defesa, arranhando o peito dele num vôo espetacular! Nunca ninguém saíra em minha defesa e eu fiquei extasiada!

Depois das queixas, como não obtivera eco, comecei a ficar com a impressão que tudo o que fizera durante a minha vida, principalmente pela preservação do meio ambiente e pela conscientização do ser humano não tinha dado resultado e o que era pior, me deu a sensação que eu estava iludindo as pessoas fazendo-as acreditar que tudo acabaria bem e que nós viveríamos um bem-estar merecido pelo trabalho e dedicação feitos pelo planeta Terra e seus habitantes. E então, no auge da minha raiva, as fichas começaram a cair. As informações começaram a chegar na minha mente e eu juntei os pontinhos. Ouvi uma voz suave que me disse que eu, ainda muito jovem, havia conhecido um outro plano de vibração e isso acontecera para que eu pudesse dizer as pessoas o que eu havia sentido. Sim, me lembro que durante uns 5 anos, por volta dos 18 de idade, me projetava para fora do meu corpo físico, quase todas as noites, para lugares dentro dessa vibração do planeta Terra tridimensional e também para lugares onde eu não via o cenário dessa vida atual. Ali eu aprendera que a nossa sintonia estabelecia a visão do cenário. A voz prosseguiu e me disse que o planeta Terra tem vários planos de vibração que não interferem um com o outro e me explicou fazendo a analogia de um rádio que pode captar tanto as ondas AM como as de FM, basta girar um botão. Nós estamos sintonizados numa faixa que capta a 3ª dimensão e tão logo passemos o nosso corpo/mente para outra vibração captaremos esse novo cenário. Sim, isso tudo eu já sabia! Só não sabia que não precisaríamos desencarnar. Ao contrário do que falam, não somos nós que iremos pra lá, lá é que virá a nós. Como eu estava ainda me acalmando pela perda do meu querido amigo Gaspar, a voz logo me avisou: "-Adivinha quem está nessa nova dimensão te esperando, e com o corpo físico restaurado, pois na 5ª dimensão os corpos podem ser modificados pela mente e o que vocês entendem por morte será apenas a troca de corpo, sem sofrimento!" Nem precisa falar da alegria que senti em saber disso! Mas logo em seguida me veio a dúvida. Como será o processo de seleção para viver numa realidade dessa? Logo a voz completou antes que eu terminasse. Vocês é que se auto-escolherão. A sintonia é que separará quem fica na 3ª e quem desfrutará da 5ª dimensão. Segundo a voz, eu preciso escrever um livro que explicará o funcionamento dessa realidade, pois é mais importante nesse momento dar às pessoas que se empenharam em construir um mundo melhor - esperança! Mas eu já tenho um livro pronto chamado "Renegociando o karma" o que prontamente a voz me disse que este livro será útil para quem vai ficar na tridimensionalidade, pois na 5ª dimensão não tem karma.

Durante as semanas que se seguiram as informações sobre essa Nova Terra foram chegando e fiquei ansiosa para já viver essa sintonia. Bem, a voz me acalmou e disse que primeiro eu tenho que escrever o livro (sugeriu o nome PLANETA TERRA - 5ª dimensão) e quando eu editar os dois (inclusive Renegociando o Karma) aí estarei pronta, juntamente com centenas de milhares de pessoas que estão aptas a viverem essa nova realidade e que vivem suas vidas com amor e solidariedade. O que eu posso adiantar é que estaremos sintonizados com a nossa essência e viveremos uma natureza sem desequilíbrios (sem vulcões, maremotos, terremotos etc.) e que os animais ditos selvagens não serão agressivos (vide tigres da Tailândia) e não serão predadores, pois se alimentarão como nós, pela respiração. As pessoas se agruparão pelas suas afinidades de missão, pelo desejo de constituir família, e teremos a nossa capacidade psíquica plenamente desenvolvida, ou seja, os 12 filamentos do DNA a pleno vapor. O sofrimento não fará parte desse contexto, pois essa dimensão é a UNIDADE como matriz.

Bem, nem todos estarão conosco. Muitos continuarão na tridimensionalidade, mas o que é reconfortante é que tanto para quem fica como para quem vai viver essas realidades, não terá essa memória de convivência, ou seja, não nos recordaremos de quem não estará conosco tanto na 3ª quanto na 5ª. Tudo será deletado para que não haja sofrimento da despedida. Muitos já vivem nessa dimensão e nos ajudarão a conhecer como funciona. As duas possibilidades quanto ao futuro do planeta Terra, divulgadas amplamente, uma de muitas dificuldades e reboliço da natureza e a outra de PAZ e AMOR não deixam de ser verdadeiras, só que uma será para quem estiver sintonizado na 3ª e a outra para quem já vem se preparando e também pronto para viver o céu na Terra, ou a 5ª Dimensão. Nada mais justo!!!

Vera Ghimel - veraghimel@oi.com.br e veraghimmel@yahoo.com.br



Um comentário:

  1. Olá Vera, foi só uma briguinha?
    Uma vez Só?
    Como voce é previlegiada!! JC

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails