terça-feira, 23 de novembro de 2010

Saiba o que é Bullying: seu filho pode ser uma vítima - Prof. William Sanches

Entre tantos desafios que a escola enfrenta, mais um se apresenta: Bulliyng - termo inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (bully ou "valentão") ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) que, muitas vezes, são incapazes de se defender. Por não existir uma palavra na língua portuguesa capaz de expressar todas essas situações, “emprestamos” a palavra bullying, que representa todos os tipos de agressões numa só expressão. Tenho certeza de que alguém já praticou, foi alvo ou assistiu a cenas de alguém colocando apelidos, humilhando, ofendendo, agredindo verbalmente ou até fisicamente o outro. Portanto, é mais necessário explicar a origem da palavra do que realmente o que ela significa, porém é de extrema importância falar sobre o assunto, discutir, pois o Bullying é a violência silenciosa. Muitos que a sofrem, calam-se por vergonha, por medo. O princípio dessa prática muitas vezes é por conta de um “defeito”, uma diferença ou de uma atitude que os outros consideram diferente e passam a praticar o bullying que se caracteriza como um comportamento agressivo e negativo. Muitas vezes, essa atitude também é pelo poder e para demonstrar quem realmente manda no local: sala de aula, pátio, corredores, banheiros... Não existe lugar certo, o bullying sempre está presente e quem sofre , como sempre, é o mais frágil. Toda ou qualquer diferença vira motivo para o bullying ser praticado. É a criança gordinha, que é sempre isolada nas aulas de educação física, é o menino orelhudo, a menina mais alta que os demais da turma. Enfim, motivos não faltam. Acontece que essa prática muitas vezes é mascarada como uma brincadeira inocente, mas que praticada repetidamente pode gerar problemas sérios no convívio da criança e do jovem. A primeira reação é a queda do rendimento escolar, depois o isolamento em casa, a tristeza, a depressão...

Aquele que exclui e que utiliza o defeito alheio para intimidar, na verdade é alguém que tem medo de ser intimidado. Agride para não ser agredido. Em muitos casos, são agredidos em casa e agridem na escola. Mais uma vez a importância da família na educação. A escola é a extensão da casa, não outra casa. A escola é parte da educação de nossas crianças. Família e escola devem caminhar de mãos dadas.

O jovem agredido geralmente se tranca para não falar do problema, como ele já é ofendido na escola, prefere esconder o problema com medo de ser novamente ofendido em casa. Já ouvi pais que dizem: “se você apanhar na escola vai apanhar também quando chegar em casa”, quando a atitude deve ser contrária a isso, pois é nesse momento que o jovem agredido precisa do apoio. A família deve estar sempre atenta a tudo, a qualquer mudança de comportamento. Uma atitude grosseira gera outra atitude grosseira, uma atitude de violência gera outra atitude violenta, mas uma atitude de generosidade, de amor ao próximo e de compreensão garantem um ambiente sadio e proporcionam uma evolução a todos os envolvidos. Afinal, fica sempre um pouco de perfume nas mãos daqueles que oferecem rosas.

Prof. William Sanches
williamsanches@terra.com.br



2 comentários:

  1. MEU FILHO TEM 14 ANOS ESTUDA NUMA ESCOLA PARTICULAR E PASSA POR ESTA SITUAÇÃO,POR PINTAR O CABELO DE AZUL FOI IMPEDIDO DE PARTICIPAR DO MOSTRAC ( AMOSTRA CULTURAL ) ATÉ QUE FOI PARAR NA JUSTIÇA ESTAMOS ESPERANDO POR UMA AUDIÊNCIA,POIS NA PRIMEIRA A DIRETORA DISSE Q ISSO Ñ TINHA ACONTECIDO,ESTOU DESESPERADA PELA SITUAÇÃO E TENHO PROVAS.MEU EMAIL.NAREUDA.CA@GMAIL.COM.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails