terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Destino x Livre-Arbítrio

Estava Maomé rodeado de seus discípulos, certo dia, quando um deles pergunta:
"Mestre, se o destino está escrito - Maktub -, de que serve seguirmos pregando uma nova consciência, já que nem um grão de areia terá seu caminho alterado na vida das pessoas? E também, se for o livre-arbítrio a representar a definitiva verdade, parece que cada um poderá agir sempre da forma que bem desejar, sem qualquer necessidade de avaliar as consequências de seus atos. Para que então estamos tentando levar um entendimento espiritual ao mundo?"

Maomé simplesmente pede ao discípulo que fique de pé. A seguir, sugere que erga uma das pernas. A perna esquerda sobe e o mestre então diz ao discípulo que levante a direita. "Não me peça isto, Mestre, pois com as duas pernas erguidas certamente cairei no chão", é o que se ouve.

Observa então Maomé: "Aí está a resposta que desejavas: ao te pedir que erguesses uma perna, usaste de teu livre-arbítrio e escolheste a esquerda. Assim criaste teu destino. Agora, apenas quando o tiveres cumprido - e a perna novamente encontrar o chão - estarás livre outra vez. E aí sim, se o quiseres, poderás erguer a perna direita."



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails