terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Mensagem de Natal - Prece de Natal - Pe. João Botelho

Senhor, deixa-me, na pequenez de teu presépio, adorar o abismo de teu imenso amor.

Então, eras Tu, que estavas no seio do Pai, antes que Ele se debruçasse sobre os abismos do nada e arrancasse das crateras do vácuo, em ondas formidáveis, a pujança imarcescível da vida?
Então, eras Tu, Pensamento eterno, que planejavas com Ele, do fundo de todas as eternidades, a ordem maravilhosa da criação?
Então, eras Tu, Imagem de Deus invisível, Sabedoria sem limites que, “quando um profundo silêncio envolvia todas as coisas e a noite chegava ao meio de seu curso, desceste do trono real”, à minha procura?...

Então, eras Tu, que nos primórdios do Universo, te liberavas com teu Espírito, sobre a imensidade das águas, fecundando tudo, pois em Ti estava a vida que é a Luz dos homens?...

Então, eras Tu, a cujo sopro divino se animou o barro do primeiro homem que, de joelhos, Te adorou, pois sem Ti nada se fez de tudo o que foi feito?...

Então, eras Tu, Aquele, cuja lembrança confortou os passos trôpegos da humanidade pecadora, até que surgisses, na plenitude dos tempos, cheio de graça e de verdade?...

Então, eras Tu, o Sonho dos Patriarcas, a Esperança dos profetas, o Anseio de todos os homens, o Desejado das colinas eternas, o Anjo do Grande Conselho, o grande Esperado, o Messias prometido?

Então, eras Tu?... Oh! deixa, Criança adorável, que minha alma se embeba na luz de teu mistério e que meu coração se alargue para a plenitude de teu amor!

Então eras tu?
Oh! deixa-me contemplar esta testinha larga e bonita, agora Sede da Inteligência infinita.

Deixa-me ver tuas orelhinhas lindas, que já escutam o gemido de toda a Criação, esperando ser libertada, e a angústia de teus irmãos que, por milênios, aguardaram a tua vinda.

Deixa-me beijar, comovido, teus pezinhos macios e gordinhos, que um dia se cansarão na poeira de todas as estradas, buscando os corações doloridos.

Deixa-me espalmar tuas mãozinhas mimosas, com as quais diriges o curso do universo e comandas a procissão das estrelas.

Deixa, sobretudo, que eu repouse minha cabeça tão cansada, na ternura de teu coraçãozinho e logre escutar dentro d ‘Ele as harmonias celestes que trouxeste da eternidade.

E faze com que, Mestre adorado, no enlevo desta contemplação, minha alma se embeba na luz de teu mistério, de tua graça, distribua, com todos os meus irmãos, a abundância de teus dons.

Enfim, nossa vida transcorra naquela paz bendita, que os Anjos cantaram sobre teu berço e possa terminar enfim, em um abraço definitivo, no dia de nosso nascimento eterno.

Fonte: Memórias de Madre Ângela - Carmelo do M. Jesus - Caxias do Sul, RS

Pe. João Botelho
Fonte: Triunfo do Coração de Jesus
Nº13 Outubro – Dezembro/97
http://www.apostolas-pr.org.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails