quinta-feira, 3 de março de 2011

Onde Estão os Valores?!? - Rosana Braga

Certo e errado são, para mim, conceitos realmente relativos. Procuro me abster de julgar, especialmente porque me considero imperfeita demais para uma tarefa tão sublime como esta. De verdade, penso que o julgamento cabe somente ao Divino, ao Perfeito.
Entretanto, ainda que, em geral consiga não julgar, sinto-me quase que na obrigação de escrever sobre os valores. Posso não concordar com regras sociais ou clichês hipócritas sustentados por alguns grupos específicos: penso que esse é um direito de escolha de cada um. Porém, há um caos generalizado no que se refere aos valores!!!
Perdem-se os valores mais e mais, a cada dia. Ninguém é dono da verdade, mas sabemos (sabemos mesmo!) que nossas atitudes, nossos comportamentos, palavras, decisões e posicionamentos revelam - a todo instante - os nossos mais profundos valores!

Matar, roubar, ofender, machucar, usar, trair, oprimir, mentir, enganar, desrespeitar (em todos os sentidos) é, em qualquer lugar do mundo, em qualquer momento da vida, uma desvalorização do sagrado, do divino, do amor em seu mais amplo significado, do específico ao universal...
Sei! Parece praticamente impossível não cometermos nenhum desses erros ao longo de nossas vidas. Talvez seja mesmo, pois somos aprendizes. Mas não estou aqui para falar de uma vida irrepreensível; quero apenas levantar uma reflexão para que ao menos saibamos quais são, onde estão e o quanto temos praticado nossos valores.
De repente, parece que eles deixaram de ser importantes, relevantes, fundamentais na construção de relações mais verdadeiras, de amores mais construtivos, de amizades mais recíprocas.

De repente, parece que ‘matar’ se transformou numa opção pessoal! Não é!!! Nunca foi e nunca será!!! Não temos o direito de tirar a vida de ninguém. Essa é uma função que não nos cabe! E daí por diante... apoderar-se do que não é nosso, mentir um pouco aqui, um pouco lá... tentar enganar só desta vez, levar vantagem para ser esperto, magoar para dar o troco, oprimir para parecer mais forte, desrespeitar para ficar por cima... O que é isso?!?!?
Gente querida... em absoluto quero parecer melhor ou mais iluminada que qualquer outra pessoa. Estou exatamente no mesmo mundo e na mesma busca que todos vocês. Aqui, agora, meu papel se difere somente porque sou eu quem escreve e é você quem lê, mas estou certa de que - cada um no seu nível de compreensão, atenção e bondade - todos nós estamos apenas tentando acertar... embora cometamos incontáveis erros!
Portanto, meu desejo não é o de criticar, apontar o dedo ou condenar. Pelo contrário! Meu desejo é pelo amor, urgentemente amor! Um amor que acolhe para transformar, que reconhece a prostituição dos valores humanos e se esforça para resgatá-los!

Estamos em teste: dia após dia, vivemos situações difíceis, conflitos internos, acontecimentos que nos colocam na berlinda e nos questionam, gritando com vozes perturbadoras vindas de todos os lados... O que é certo?, O que é errado?
Se é verdade que não podemos mudar o outro e que já nos é tão difícil mudarmos a nós mesmos, então proponho que nos empenhemos na segunda tarefa. Antes o difícil do que o impossível. Cada um muda somente no instante em que acredita que precisa mudar. Sendo assim, se quem está ao seu lado ignora um valor humano, você tem ainda duas saídas: uma é rezar por ele e a outra é não ser conivente (não dar o troco, não se vingar, não cometer o mesmo equívoco com a justificativa de que ele fez primeiro)!

Pois penso que se nada fizermos, se não refletirmos sobre quais são nossos valores e o que temos feito para sustentá-los, defendê-los e, sobretudo, exercitá-los... estaremos cada dia mais vulneráveis, mais ameaçados, mais perdidos e vazios, sem saber a quem recorrer porque nem nós mesmos nos sentiremos dignos de sermos acolhidos.

E o amor... por fim e tristemente... terminará sucumbido pela aridez dos valores sagrados e divinos que fazem existir e sobreviver o coração humano.

Rosana Braga
http://www.rosanabraga.com.br/
Reconhecida como uma das maiores especialistas em relacionamentos interpessoais do país, pesquisadora da área há mais de 10 anos, Rosana Braga é conferencista, escritora, jornalista e consultora em relacionamentos. Autora de 5 livros e DVDs de Treinamento, tais como ‘O Poder da Gentileza’, ‘Faça o Amor Valer a Pena’, 'Inteligência Afetiva – 2 volumes', entre outros.



Um comentário:

  1. Rosana, o certo existe. Está dentro de cada qual que habita este mundo aparente em que vivemos. Mas, os valores desenvolvidos pelos seres humanos tiveram como recurso a mente inferior e, assim, conseqüentemente, tiveram somente a influência astrológica, que pertence a este mundo transitório e, por isso, em constantes transformações. Daí a causa da bi polaridade de valores (bem aparente/mal), os quais, devido suas freqüências vibratórias opostas e variantes, por sua vez, geraram uma infinidade de verdades, todas aparentes. Num mundo eletromagnético, portanto, variante e que se transforma de meio em meio segundo, não há consolidação de nada, razão por que o bem é aparente.
    Além deste universo eletromagnético em que vivemos, representado em nossas cabeças por duas máquinas, a do pensamento e a da imaginação (direita e esquerda), que constituem nossa mente inferior, somos portadores da máquina do raciocínio (glândula Pineal), que representa o nosso universo de origem, constituindo nossa mente superior (fiel da balança, ponto de equilíbrio), que ainda não foi desenvolvida pelos seres humanos. Mas, já adentramos na fase da natureza para o seu desenvolvimento, razão porque todos os valores desenvolvidos através da mente inferior estão em fase de liquidação. Essa a maior e derradeira mudança de fase da natureza, que está enxugando o universo de tudo que prejudica o desenvolvimento dessa mente superior, que é o raciocínio, que pertence ao nosso universo de origem e que essa mente superior, o raciocínio, nunca antes foi desenvolvido, tendo sido confundido pela filosofia e pela ciência com o pensamento concreto. Portanto, alegria, a casa está em arrumação. E a confusão gerada para acomodar tudo nos verdadeiros lugares é tão grande, que se tem a impressão de que tudo está piorando. Não. Não está. Apenas a natureza fazendo a assepsia do universo. E por que essa assepsia? Porque está já na hora de tudo e de todos retornarem ao estado natural de onde tudo e todos saímos. Tudo que os seus olhos de matéria enxergam, nada mais nada menos é do que uma ilusão de ótica, porque tudo no universo em que vivemos é aparente, por estar fora do seu verdadeiro natural que é de energia e, não de matéria. Se se interessar pelo assunto, faço um programa de rádio no Distrito Federal: Encontro Racional. Meu abraço AMIGO!
    www.encontroracional.com.br

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails