terça-feira, 5 de julho de 2011

Dê Adeus Ao Que Já Passou - Luiz Antônio Gasparetto

Você é daquelas que vivem apegadas ao que já aconteceu e não volta mais? Nossa, se você soubesse o quanto está acabando com a própria felicidade... É, porque se ficarmos atados, presos às energias do passado, a vida dificilmente vai fluir. E quer saber? Saudosismo está fora de moda.

Sim, nós nunca devemos nos esquecer de onde viemos, de tudo que fizemos e dos vários caminhos que percorremos durante a vida. Não podemos esquecer, sobretudo, das nossas vitórias, quedas e lutas. Também temos de cultivar a memória das pessoas que conhecemos. Isso se chama reconhecimento e aprendizado. O grande problema é quando cultuamos o passado e deixamos de alimentar o nosso presente.

Ora, é como se a todo instante abríssemos a gaveta da nossa história. O que isso tem de enriquecedor? Nada: isso é puro atraso de vida! Pessoal, vamos exercitar o desprendimento. Tenha a certeza de que tudo ficará mais claro se você caminhar com o coração renovado. Não é tarefa das mais fáceis. É preciso ter coragem e ousadia. Diga a si mesma: "Eu não preciso mais disso. Esse passado não me traz nenhum benefício. E quando só restarem as lembranças das alegrias, do bem que os outros fizeram, das rosas secas (mas carregadas de amor), haverá mais espaço para novas experiências e novos encontros".

Ih... já sei. Você ainda pensa naquele amor que viveu. Tudo bem, vou ensinar a você um exercício para se libertar dele. Desligue-se de tudo, sabendo que a mente não tem limites. Em pensamento, chame essa pessoa de volta. Imagine que você está segurando as mãos dela. É natural que as emoções comecem a aparecer. Chore se tiver vontade. Mentalmente, diga à pessoa tudo que você sente. Agradeça pelas coisas boas que ela trouxe à sua vida. Algo feriu seu coração? Diga também. Fale tudo que você esperava para o futuro: "Eu gostaria...". E assuma sua decepção: "Eu estou decepcionada porque nós não poderemos [complete a frase]". Sinta o seu corpo aberto — permita que seus sentimentos venham à tona, como se fizesse uma limpeza interior.

Chegou a hora de aceitar totalmente a realidade. Sinta esse amor dentro de você — um amor que deixa a pessoa partir. Um gesto gracioso de soltar. Diga a essa pessoa: "Agora você pode ir. Eu vou ficar bem". Aos poucos você vai se sentir limpa, honesta e tranquila, como quem respeita a vida e é respeitada por ela. Vá voltando, respirando fundo e soltando o ar. Deixe ir, junto com o ar, a imagem da pessoa, o cansaço, a dor e a angústia. Você vai notar como se sentirá mais aliviada.

Outro trabalho simples e efetivo para deixar o passado partir é pronunciar a palavra "harmonia". Mas precisa ser uma harmonia de coração. Harmonia é a crença de que podemos fazer tudo pelo nosso bem — sem estresse, guerras ou briga. Harmonia é estar centrada na paz, de uma maneira inteligente. Vamos lá, pronuncie: HARMONIA. Uma vez estabelecida, essa energia positiva começará a fluir. Com certeza você ficará bem, equilibrada, leve e solta. Sem amarras, sem apegos. No presente. E o melhor de tudo: feliz!

Luís Antonio Gasparetto



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails