sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Os Encontros de Uma Noite - Dado Moura

A partir da revolução sexual dos anos 60 muitas coisas interferiram no comportamento dos jovens. Para quem já tem mais de 40, certamente se lembra das muitas etapas vividas nos anos que viriam a seguir… Apesar de todo o liberalismo alcançado, o desejo das pessoas em encontrar alguém para se viver um sadio relacionamento ainda continua vivo. De maneira especial para as mulheres que se preocupam com o avanço do tempo e ainda não conseguiram encontrar seu par. Outras, por terem vivido um relacionamento frustrado, procuram estabelecer um romance duradouro com uma pessoa que realmente as façam felizes. Algumas dessas já namoraram, já viveram vários relacionamentos de curtíssima duração, outras até tinham um “ficante fixo”, mas entre tantas experiências, ninguém parecia ser adequado para o projeto de um relacionamento sólido.

É bem sabido pela maioria das pessoas, que a cada final de semana, quase sempre, a proposta para a diversão não está somente em conviver com outras pessoas mas sim, de não passar a noite sozinhos.
De maneira equivocada, algumas pessoas acreditam que em meio as breves experiências de namoro poderão encontrar seu par ideal. Em outras palavras, procuram encontrar alguém especial, vivendo inúmeras namoricos. Como se desses encontros fosse possível detectar a(o) namorada(o) perfeita(o) para então viver o sonhado relacionamento. Outros acreditam que por não terem ainda encontrado a mulher ou o homem da sua vida, justificam a atitude de viver um encontro com a duração de uma noite.

Dessa forma, as abordagens quase sempre seguem os mesmos rituais, tanto para homens quanto para as mulheres. Sem rodeios procuram conduzir o encontro para uma intimidade na qual, o casal tem como motivação o vínculo passageiro. E quando acontece do rapaz se deparar com uma moça que resiste a tal proposta ou não responde com o mesmo interesse; sem pestanejar, desvia seus objetivos em direção a uma outra pretendente.
Nessas investidas masculinas estará como alvo as meninas que se vestem de maneira mais provocante ou aquelas que expressam em gestos uma predisposição para um relacionamento relâmpago.
Como que se vivessem num circulo vicioso, a mesma atitude vai se repetir por muitos finais de semanas e festas oportunas. E os comentários entre os amigos(as), já não tão discretos, seria a respeito de quem foi ou como foi a noite com esse ou aquela pessoa.

Sabemos que para encontrar alguém, precisamos também nos desinstalar, pois dificilmente o príncipe encantado vai cair do céu e bater na porta da menina. E a frustração de muitos relacionamentos está no fato das pessoas perceberem que apesar de terem vivido muitos momentos, nenhum desses eventos foram duradouros o bastante como gostariam que acontecesse.
Contudo, a maneira de se conquistar alguém com intenções de viver um relacionamento mais sério, certamente, não será através das mesmas abordagens que se vivia nos finais semana. Tampouco será a extroversão abusada ou a concordância para um programinha que vai garantir a conquista de alguém.

Assim, a pessoa que deseja algo diferente para si, começará a entender os motivos de seus relacionamentos frustrados quando, sem hesitação, responder de maneira diferente às investidas costumeiras dos pretendentes de plantão. E uma primeira mudança a ser tomada, estaria na própria maneira de ver a pessoa do sexo oposto. Agora, não como alguém que serviria apenas de muletas para suprir suas carências, mas de encontrar uma pessoa como quem poderá viver a realização de um chamado para uma vida a dois e de maneira sóbria.

Um abraço e até o próximo encontro.

Dado Moura - http://dadomoura.com/
https://www.facebook.com/reflexoes



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails