terça-feira, 29 de novembro de 2011

Libertação - Elisabeth Cavalcante

Tudo o que mais desejamos na vida é nos libertar do sofrimento. Por que, então, seguimos repetindo os mesmos equívocos sem conseguir encontrar a felicidade?

A razão reside, acima de tudo, na grande dificuldade que a maioria de nós encontra em acreditar que existe, sim, a possibilidade de viver de uma outra maneira.

Experienciar a harmonia e a serenidade, embora seja algo que exija uma grande força de vontade, não é um objetivo inalcansável. Há quem diga, aliás, que é bem mais simples do que nos parece à primeira vista.

O primeiro passo é estar pronto para abandonar velhas atitudes, ainda que nos sintamos muito confortáveis com elas. Quanto mais convencidos estivermos de que muitas das causas de nosso sofrimento, são criadas por nós, maiores serão as chances de que a mudança comece a acontecer.

Para tanto, é preciso uma enorme dose de humildade e a coragem de admitir verdades muitas vezes incômodas, como por exemplo, o quanto às vezes nos deixamos dominar por sentimentos mesquinhos como a raiva, mágoa, o ressentimento, a inveja, o desejo de dar o troco.

Naturalmente, estas são reações bastante humanas e estão presentes em nossa natureza. Mas isto não deve servir de desculpa para que não as abandonemos.

Afinal, se queremos deixar de lado o que nos faz sofrer, é essencial admitir que precisamos reagir aos acontecimentos de uma nova maneira. De nada adianta desejar a transformação, se não estivermos plenamente conscientes dos velhos jogos do ego, que insiste em nos fazer reagir sempre da mesma forma às situações da vida.

Esta é, aliás, uma das principais consequências da inconsciência: atrair sempre as mesmas circunstâncias e dificuldades. Aí, o próximo passo é nos posicionarmos na condição de vítimas e culpar Deus, o destino, ou seja lá quem for, pela nossa infelicidade.

Este mecanismo se repete por muitas e muitas vidas, e continuará se repetindo, enquanto não atingirmos um estado de consciência que nos permita abandonar este velho e desgastado padrão.

"Você tem vivido em muitas vidas. A peregrinação é longa, e você tem ido quase em círculos. Assim, sua consciência não cresceu - você está cometendo os mesmos erros uma e outra vez.

Cada vida é desperdiçada quase de modo repetitivo.

As pessoas dizem que a história se repete. A história não tem negócios para se repetir, mas se repete porque somos inconscientes, por isso continuamos a cometer os mesmos erros uma e outra vez. Nossa consciência permanece a mesma. É por isso que vivemos cada vida no mesmo plano miserável, nunca crescemos.

... Você deve começar a trabalhar profundamente em seu ser, procurando por ele - porque depois de ter conhecido o seu ser, então, você não irá novamente nascer em um corpo. Então, você não irá para outra prisão. Então, você será libertado de todas as prisões. E esta última liberdade é a única lição que vale a pena aprender através de todas essas vidas.

... A única coisa que vale a pena lembrar é não perder a oportunidade que você tem de desenvolver sua consciência ao ponto onde você tenha a mesma visão, a mesma clareza, a mesma intuição, o mesmo entendimento que um Buda Gautama.
A menos que você se torne muito desperto, sua vida vai repetir uma e outra vez os mesmos erros. Um homem inconsciente não pode esperar mudar o curso da sua vida. É apenas a consciência crescendo, que vai mudar seu estilo de vida.

E uma vez que você esteja totalmente desperto, iluminado, você não precisa voltar em outro útero. O ser iluminado desaparece no ventre do próprio universo. Não que você não exista mais, mas na verdade você será pela primeira vez - tão vasto e tão infinito como o universo é, sem limites ... e expandindo-se continuamente.

Toda a sua infelicidade é porque você é tão grande e você foi forçado a um pequeno corpo, em uma mente pequena, em um coração pequeno. Seu amor quer se expandir, mas seu coração é muito pequeno.
Sua clareza quer se tornar tão clara como um céu sem nuvens, mas sua cabeça é muito pequena e muito lotada. Seu ser quer ter asas e voar através do sol como uma águia, mas é encarcerado - três paredes em torno dele. É quase impossível para ele sair dessa prisão.

... Você não é uma criatura miserável. Você está carregando um Deus dentro de você e você tem que descobrir este Deus. Este é o único milagre em que acredito, a única mágica. Todo o resto é não-essencial.
OSHO - OM MANI PADME HUM


Elisabeth Cavalcante é Taróloga, Astróloga,
Consultora de I Ching e Terapeuta Floral.
Email: elisabeth.cavalcante@gmail.com



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails