segunda-feira, 16 de abril de 2012

Mudando você, mudando sua vida - Jô Furlan

A situação mais constante no mundo é a mudança. Ela ocorre independente da nossa vontade. Já que acontece naturalmente, talvez não haja, então, porque dar atenção a ela. Cuidado nessa hora. Sim, de fato a mudança é uma constante, sendo assim, não seria melhor eu fazer parte atuante desse processo ao invés de ficar esperando as coisas acontecerem? Existem algumas máximas da área comportamental. Exemplo: “O que não evolui, involui.” Com esse pensamento percebemos que todos os dias estamos melhorando ou piorando. A referência sempre tem como base alguma comparação que deveria ser feita consigo mesmo. Toda comparação externa tende a injustiça de critérios.

O que muitas vezes acontece é que o seu melhor não é suficiente para o seu cliente, seu chefe, seu companheiro(a), sua família e assim por diante. A pergunta que eu faço com freqüência é “quanto você está disposto a se superar”, melhorando assim, as suas possibilidades e expandindo consequentemente as suas potencialidades. Lembre-se que se você não está satisfeito com os resultados que tem obtido, você está livre para mudar. Se para você seus resultados têm sido satisfatórios do fundo do seu coração e da sua mente, acredito então que você pode fazer ainda melhor. Porém, não sou eu que tenho que acreditar nisso e sim você. Quando acreditamos na nossa capacidade de realização e superação, abrimos nossa mente para um mundo de possibilidade que até então podiam estar presentes, mas não éramos capazes de enxergar. Essa percepção tem tudo a ver com a nossa sincronia emocional e cognitiva.

Quando você escolhe fazer parte dessa mudança, traz para você o papel de co-autor desse processo. Realmente, gostaria de dizer à você que o controle pleno da sua vida é possível, mas estaria mentindo. Não podemos controlar todas as coisas que acontecem conosco, podemos sim, controlar como nos sentimos em relação a essas coisas. Quando você escolhe mudar e isso se torna aceitável, é estabelecido um novo padrão de relacionamento com a sua vida, com a sua existência. Dê um basta na desculpa e comece a buscar as soluções. Verifique criteriosamente o que necessita ser mudado e a que tempo. As coisas mais urgentes nem sempre são as mais importantes. Nos últimos anos, falando para milhares de pessoas por ano, comecei a defender como mais ênfase os processos de mudança. Desenvolvi enquanto professor na área de Medicina Comportamental , um modelo de gestão de mudança com foco em resultados. Às vezes sou criticado pelo posicionamento enfático na busca de resultados, mas, afinal de contas, o que todos nos queremos é atingir os resultados que desejamos. Isso pode acontecer com um grande grau de estresse ou com um processo de desenvolvimento humano que exige de nos um pouco mais a cada dia. Para as pessoas que escolheram fazer e viver um pouco mais a cada dia, isso chega a ser normal, para outros se torna um pesadelo.

Criei um programa denominado “A Chave da mudança”, pois acredito que posso ajudar as pessoas abrirem algumas portas para uma nova realidade de vida, mas a única pessoa capaz de passar pela porta, experimentar todas as suas possibilidades e aprender todas as suas lições é o próprio indivíduo. Lembro-me do filme “Matris Reload”, onde um dos personagens principais era o chaveiro. O quanto você está disposto a descobrir o segredo da fechadura de certas portas que aparentemente parecem fechadas em sua vida? Se a porta está a sua frente, a melhor forma é encontrar uma forma de atravessá-la e passar para outra realidade, outro mundo, outro nível. Talvez o que hoje não compreende ou não entende fará todo o sentido amanhã. Você pode mudar, você precisa mudar, querendo ou não, acredite, você vai mudar.

Jô Furlan
www.drjofurlan.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails