terça-feira, 18 de junho de 2013

De onde vem esse medo que assola meu coração? - Maria Isabel Carapinha

Por vezes, somos tomados por sentimentos que entram em nossa mente se instalam e permanecem vibrando de forma negativa. O medo nos faz divagar na maioria das vezes sobre o que ainda não existe ou por sentimentos de precaução, ou seja, se um dia, tal fato vier a se concretizar, de maneira mental, eu já o havia vivenciado e me preparado.

Tais sentimentos negativos, no entanto, interferem no nosso equilíbrio energético e modificam nossa frequência vibracional, fazendo com que situações negativas sejam vivenciadas.

Quem um dia já não sentiu medo de perder a pessoa amada, de perder o emprego, de se arriscar em uma nova oportunidade, de viajar de avião, de perder um ente querido ou até mesmo de morrer? Por que conviver com sensações como estas? No fundo de cada um destes medos, existe a falta de entrega e confiança, confiança que sempre o amanhã será melhor que hoje e que a cada dia -se sua mente estiver em pleno equilíbrio- sua vida será colocada em Ordem Divina.

Quando compreendemos que os pensamentos e emoções negativas se instalam em nossa mente como um fluxo de energia gerado por nossa mente tendo como base ideias e conceitos errados, eles podem ser compreendidos, identificados e transmutados.

A mudança pessoal ocorre quando identificamos o momento em que o bloqueio energético, que está dando origem ao medo, foi gerado e então transmutamos através da utilização da Mesa Radiônica Quântica.

Culpar as circunstâncias da vida, os outros, nossos pais, nossa falta de sorte ou, até mesmo o destino, é muito mais fácil do que ser o responsável pela sua vida e destino. A cada segundo, decidimos o nosso futuro, nossos pensamentos e atitudes cristalizam o que viveremos a seguir. Culpar os outros somente lhe fará perder mais tempo na busca de uma vida diferente. Tome uma decisão única e certeira, aborde de maneira clara e objetiva tudo que não quer mais para sua vida, elimine e passe a vibrar por aquilo que quer, o Universo está esperando seu sim, para colocá-lo no caminho da abundância e felicidade.

O medo tem uma função importante em nossa vida, ele faz com que haja a preservação dela, ele prepara o nosso corpo para o desconhecido e desaparece rapidamente quando a situação se torna conhecida. Este tipo de medo é o medo real, ou seja, ouvimos um barulho e somos tomados por uma sensação de medo que nos leva a reagir ou a fugir. O medo é uma emoção que aparece do nada em nossa mente, quando percebemos um perigo iminente ou imaginamos que algo de ruim pode acontecer. O cérebro produz adrenalina e, então, o medo se instala. Eis aqui o pulo do gato: com ou sem perigo real, todo o processo cerebral é disparado.

Isso significa que mesmo em situações que somente imaginamos o que pode nos ocorrer, todo processo cerebral é disparado e passamos de fato a sentir como se tudo fosse real.

O medo nos impede de realizarmos o que desejamos, temos medo da solidão, mas não queremos nos lançar ao amor por medo de sofrer, não suportamos o nosso emprego atual, mas temos medo de mudança, queremos muito viajar, mas temos medo de avião. Por que não transformar esse medo em realização de desejos?

Neste exato momento, podemos aqui incluir todos os tipos de medos: de elevador, de locais fechados, de altura, de bichos, de dirigir.
Existem casos intensos de medo que ele se transforma em mal-estar e se torna sentimento de sofrimento.

Quando a situação que dispara o medo é somente imaginária, é gerada a seguir uma ansiedade excessiva que vem acompanhada de sintomas físicos como tensão muscular, tremores musculares involuntários, inquietação, falta de ar, taquicardia e suor excessivo, boca seca, ondas de calor e de frio, dificuldade de engolir e sensação de desmaio ou desrealização.

O mecanismo que dispara o medo é inconsciente e sempre começa com um estímulo que provoca susto ou pavor. O segredo da cura está na descoberta deste estímulo que se repete e ficou com uma energia bloqueada em sua memória e, cada vez que algo similar acontece, o estímulo é disparado e, então, caímos na tão conhecida doença do momento que é a síndrome do pânico.

A identificação deste momento exato, em que este estímulo é disparado, é feita na Mesa Radiônica e, através da eliminação de tal energia estagnada, vamos fazendo com que o medo deixe de fazer parte de nossas vidas e a sensação de confiança e paz voltem a ser reestabelecidas.

Por incrível que possa parecer, os dados estatísticos apontam que 40% das pessoas têm medo de avião sendo que a sua chance de ter um acidente aéreo está em uma para cada um milhão e trezentas mil pessoas.

Este medo pode estar associado a excesso de controle, ou seja, como confiar sua vida a um desconhecido e não saber a cada segundo o que está acontecendo. Pode estar ainda associada a medo de altura ou ainda a medo de locais fechados. A cura deste medo está também na identificação do momento em que este estímulo foi disparado.

Há algum tempo, atendi um moço que se dizia depressivo, fazia uso de remédios para depressão, mas o alívio que sentia era pequeno. Contou um pouco sobre sua vida pessoal: sentia-se realizado na parte afetiva e profissional, por sinal era uma pessoa de referência na área em que trabalhava. Porém, sentia uma angústia, uma tristeza e um medo que não conseguia controlar e decidiu, então, partir para uma identificação energética da situação, visto que com tudo que estava fazendo ainda permanecia com os sintomas. Passou a descrever de maneira clara os sintomas que tinha quando o medo era disparado em sua mente: essa sensação vem do nada e, independe de onde eu esteja, sinto que a minha pressão sobe e que meu coração dispara; dentro de meu peito se instala uma tremedeira e tenho a sensação que vou morrer, esta é uma situação que sinto. Outra que descrevo é uma enorme sensação de tristeza que me assola onde tenho vontade de me isolar até que passe, por vergonha de não saber o porquê sinto isso.

Iniciamos o tratamento com a Mesa Radiônica equilibrando em princípio todas as suas frequências vibracionais e a seguir partimos para a identificação dos bloqueios energéticos existentes em sua mente.
Identificamos dois momentos extremamente marcantes que foram o suicídio de sua mãe, quando ele tinha quatro anos de idade, onde ele chegando com o pai em casa presenciou a cena e o outro aos dezessete anos quando seu pai enfartou, na empresa ao seu lado. O pai acabou se restabelecendo meses depois sem sequelas.
Fizemos o desbloqueio energético de tais momentos.

Passados alguns meses e com relatos extremamente positivos, voltamos a conversar sobre os momentos identificados e percebemos que os estímulos cerebrais eram sempre disparados por situações em que ele era pego de surpresa e não conseguia reagir, como no caso da morte da mãe. E o segundo por situações de pressão em que a sua não-reação poderia levar a consequências mais sérias, como no caso do pai; se ele não tivesse agido com presença e rapidez, talvez a vida do pai não pudesse ser salva.

Como a energia que dispara o estímulo cerebral fora liberada, mesmo havendo situações similares as que descrevemos, o estímulo não mais era disparado e ele passou, então, a viver uma vida normal isenta de medo e depressão.

Maria Isabel Carapinha
Email: isabelc@uol.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails